expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

segunda-feira, 27 de novembro de 2017

Enquanto Eles Não Vêm e Sacanas do Asfalto: Playlists

“One of the things I do when I am starting a movie, when I’m writing a movie or when I have an idea for a film is, I go through my record collection and just start playing songs, trying to find the personality of the movie, find the spirit of the movie."
Quentin Tarantino


     A música detém essa magia de mexer com as nossas emoções. Muitas vezes fui embargado por ideias interessantes, devido a algum som que chegou aos meus ouvidos. Obras como “Enquanto Eles Não Vêm” e “Sacanas do Asfalto”, que são recheadas de referências, tiveram um processo criativo ágil por causa de tais músicas. Foi pensando nisso que eu resolvi criar duas playlists especiais dedicadas aos meus livros. Confiram a lista abaixo, as faixas estão disponíveis no Spotify.


                                  

     A playlist de "Sacanas do Asfalto" é ainda mais próxima da obra porque os personagens, em diversas situações da história, mencionam as músicas em questão. Apenas as trilhas instrumentais que não foram diretamente mencionadas:


                                  

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Vanishing Point: um mergulho ao clássico moderno do Quentin Tarantino


Só agora sou capaz de perceber.
Devia ter imaginado que existem caminhos sem volta, e que eu estava em um deles.
Quando tentei voltar a ser quem eu era, sorrir como nunca havia feito, e viver uma nova vida... Fracassei.
Steve. O nome dele é Steve.
Desgraçado...
Você me tirou tudo. Roubou a minha vida.
Mas seja lá onde você estiver... Eu o encontrarei de novo.


Stuart fugiu do inferno, e enquanto não volta para lá, está em busca daqueles que pensaram ter acabado com a sua vida para sempre.

     VANISHING POINT começou a ser idealizado em 2008, como uma fanfic de Kill Bill. Fascinado por livros de suspense e filmes de ação asiáticos envolvendo samurais e chineses voadores, eu escrevi um manuscrito e adicionei um projeto gráfico com desenhos inspirados em animes e mangás japoneses. O livro tem como pano de fundo as consequências da vingança, vivido por um personagem que luta para alcançar a liberdade e superar os traumas vividos na infância. É uma história de cunho fantástico e artístico, de fã para fã, prestando tributo ao renomado escritor e diretor Quentin Tarantino e outras obras inesquecíveis. Além do referido cineasta, Vanishing Point também é uma homenagem ao longa homônimo de 1971, escrito por Guillermo Cabrera Infante e dirigido por Richard C. Sarafian.
     Este teaser também pode ser encontrado na introdução do livro Sacanas do Asfalto, lançado na bienal de SP em 2016. O livro também é uma homenagem ao Quentin Tarantino, e é levemente inspirado por escritores como Agatha Christie e Elmore Leonard:


     SINOPSE

     Como recomeçar uma vida, quando um passado grotesco lhe sonda o caminho? Tudo o que Stuart queria era fugir com Shelly de uma gangue criminosa que ele deixou para trás. Cansado de viver ao lado da morte, decidiu mudar de rumo, ante a personificação de Afrodite nos olhos claros daquela jovem mulher. A situação complica quando Stuart é surpreendido pelos velhos comparsas, tendo de pagar um preço alto demais. Humilhado e ridicularizado, ele é dado como morto, transformando-se em um fantasma para a humanidade, capaz de qualquer coisa em nome da vingança. 
     Vanishing Point é um livro amplamente ilustrado e inspirado no Quentin Tarantino, principalmente no seu quarto filme, Kill Bill, envolvendo assassinos profissionais, gangsteres, artes marciais, anime japonês e faroeste italiano. O livro seria postado por inteiro na plataforma wattpad, mas em virtude da escassez de tempo, acabei deixando apenas uma degustação dos primeiros capítulos. Por essa razão, a obra será publicada na Amazon - em formato digital - a partir de dezembro de 2017.

     
O tempo passou depressa e a minha vida mudou radicalmente.
A minha e a do meu irmão, diga-se de passagem. Ele também foi “resgatado” pelo cara que passou a nos tratar como seus filhos... O meu irmão chama-se Brian. Quando vivíamos nas ruas, eu trabalhava como entregador de cocaína para um comerciante, e roubava ninharias para se divertir nos fliperamas dos bares suburbanos. Lembro que apesar da vida injusta e de toda a violência, nos divertíamos bastante. Após tornar-se assassino, o Brian assumiu a aparência daquele que era o seu alter ego, e passou a ser conhecido nos guetos como o terrível Terry F. White.

Terry, o terrível Escorpião Dourado
     
     A obra é amplamente ilustrada, com páginas em formato de HQ, repletas de ação e lutas sangrentas que referenciam as artes marciais no cinema: sobretudo o cinema de Hong Kong. Todas as ilustrações contidas no livro foram feitas manualmente. À exceção de alguns ajustes na digitalização, os mais de sessenta desenhos foram finalizados de maneira tradicional. Eu levei nove meses para finalizar todo o processo, desde o esboço até a arte final. Após a publicação do livro, novas informações e referências serão divulgadas no blog. Até lá, não deixe de conferir a degustação da obra no wattpad clicando AQUI.
     Para finalizar, deixo um vídeo especial dedicado a obra que publiquei no YouTube alguns meses atrás, a edição conta com informações extras e algumas referências.



ME SIGA NAS REDES SOCIAIS



terça-feira, 7 de novembro de 2017

Entrevista com a Escritora Maud Epascolato

Hoje lhes trago um post diferente: Uma entrevista com Maud Epascolato, uma das escritoras mais simpáticas e talentosas que a literatura me apresentou. Conheci a Maud em 2012, quando juntos participamos da antologia "O Último Dia Antes do Fim do Mundo". Daí por diante nos tornamos grandes amigos, e até então trocamos figurinhas literárias. Em 2013 a Maud lançou "Medo do Escuro e Outras Histórias", uma coletânea de contos de terror e suspense que foi um fenômeno de vendas na Bienal do Rio de Janeiro.

Com a Maud, na Bienal de SP (2014)
Após participar da antologia "Conto dos 7" e lançar alguns trabalhos na Amazon, Maud escreveu "A Bruxa do Olho de Vidro", conto recentemente lançado pela Editora Lendari, em uma linda edição de bolso.

Maud e seu filhote

1. Primeiramente gostaria de te agradecer por conceder essa entrevista. A ideia já estava no papel há algum tempo, e finalmente a colocamos em prática! Para começar, fale um pouco sobre o seu conto – ou diria novela? – A Bruxa do Olho de Vidro. O que os leitores precisam saber antes de lê-lo?

A Bruxa do Olho de Vidro é um conto ambientado numa casa abandonada em São Paulo que tem como primeiro ato uma brincadeira de criança, e três crianças como protagonistas. Como é um conto, não é possível dar muitos detalhes, mas o escrevi como uma história juvenil de mistério, mas acredito que atinja outros públicos. Há o elemento sobrenatural, como é comum nas obras que escrevo. 

2. Tive a chance de ler a obra graças a sua camaradagem. (Risos.) Notei que o conto evoca um pouco a atmosfera dos anos 80; um leve quê de obras como “It”, “Conta Comigo” e até mesmo a recente série “Stranger Things”, pelo fato de envolver crianças desvendando certos mistérios... Essa influência “oitentista” é um fato? 

Na verdade, a minha influência foi a minha infância e as brincadeiras de criança. Como passei a infância nos anos 80, faz sentido essa sensação oitentista, mas nunca pensei por esse lado, mesmo porque a história não se passa nos anos 80. Ainda não li ou assisti as obras que você citou, então não posso afirmar sobre a atmosfera, mas o conto nasceu para ser uma brincadeira de criança, mas se transformou “naquilo”.

3. Em 2013, você lançou “Medo do Escuro e Outras Histórias”, conseguindo vender inúmeros exemplares na Bienal do Rio de Janeiro. Existe alguma semelhança com o seu novo trabalho no que diz respeito ao gênero ou mesmo ao universo do livro? Melhor... Existe um compartilhamento de um mesmo universo?

A semelhança é ser também um conto (embora maior) e enveredar pelo mistério e pelo sobrenatural, e o terror é mais psicológico, como procurei fazer em “Medo do Escuro e outras histórias”, pois é o gênero que gosto mais.  

4. Quais foram suas maiores influências para a criação desse livro?

Esse conto foi escrito em 2014, depois de oito/nove meses parada. Foi o primeiro texto que escrevi quando fui morar em São Paulo e quis ambientá-lo na cidade. Acho que a influência que tive para escrevê-lo foi o clima nublado da cidade, além da minha própria infância. Simplesmente sentei na frente do notebook e comecei a escrever, sem fazer um esqueleto da história. Levei quatro dias jogando as ideias no papel. A princípio, seria um conto de apenas cinco páginas, mas foi crescendo, e as ideias mudando ao longo da escrita. Para mim, o resultado ficou melhor do que o que eu havia previsto.

5. “A Bruxa do Olho de vidro” passa uma sensação de realidade muito forte, como se a história fosse inspirada em fatos reais. O que tem a dizer sobre isso?

Não foi baseada em fatos reais e qualquer semelhança com fatos e personagens da vida real é mera coincidência. (Risos.) Quem me conhece sabe a dificuldade que tive para usar tantos números em uma obra só. Matemática nunca foi o meu forte... Mas acho que o fato de a minha infância ainda estar muito fresca na memória ajudou a causar essa impressão de realidade.

6. Percebe-se que você é mais voltada para o suspense e o terror. Você acha que esses gêneros estão em evidência no mercado literário brasileiro? Se afirmativo, a que você atribui esse sucesso?

Acho que o suspense e o terror estão alcançando mais os autores brasileiros, e consequentemente os leitores. Sempre haverá um público específico para todos os gêneros, mas acredito que o mercado literário tenha suas fases, e estamos na fase do thriller psicológico e do terror (embora ainda tenha muito para crescer). E temos autores muito talentosos que nem foram descobertos ainda, pois o preconceito dentro do cenário nacional quanto ao gênero não foi vencido por completo. Mas atribuo a evidência do gênero nesse momento a editoras que estão investindo, acreditando e publicando autores nacionais.  

"Literatura é uma forma de se libertar do que te aprisiona, é uma autoterapia, é um recurso para se buscar a si mesmo e uma forma de se encontrar em meio ao caos e à turbulência da vida."

7. O que podemos esperar da Maud Epascolato no futuro? Fale um pouco sobre seus projetos e outras obras literárias.

Tenho muitos projetos engavetados e que precisam de continuidade. Devido ao meu trabalho com revisão, que toma muito do meu tempo e do vigor mental, e do meu sofrimento para escrever, meu processo de escrita é muito lento. Nem eu mesma sei o que virá.

8. Sabemos que viver de escrita no Brasil não é uma impossibilidade, mas está muito longe de ser uma tarefa fácil... Conhecendo a sua perseverança e luta, te pergunto: o que você tem a dizer aos novos escritores que estão surgindo nesse campo? Qual dica ou conselho você deixaria para eles?

Viver só da escrita no Brasil é extremamente difícil. É possível viver de literatura, mas não de escrita, acredito. Grandes escritores brasileiros tinham e têm suas profissões fora da escrita. Clarice Lispector, por exemplo, vivia de tradução. Embora não seja um exemplo atual, vários escritores hoje vivem de dar cursos e palestras e têm suas profissões. Eu vivo de revisão de texto. Isso é viver de literatura, não de escrita. Mas aos novos escritores (e eu sou um deles), digo que se o que você escreve te faz feliz, escreva. Se o que você escreve é uma terapia, escreva. Se você se sente realizado escrevendo, escreva. Não espere reconhecimento imediato. Não espere dinheiro. Não espere aquela editora enorme e maravilhosa reconhecer o seu talento. Escreva o que gosta e o que sabe escrever, pois isso soará mais natural no papel. Escreva para se libertar. Se é o que você quer para sua vida, não desista, pois a partir do momento que você desiste dos sonhos, você desiste da vida. 

Para finalizar, vamos fazer um bate e volta literário!

Um livro que marcou a sua infância: O exorcista, de William Peter Blatty. (É sério! Foi meu primeiro livro de terror, e fiquei tão apavorada que só voltei a ler esse gênero aos 16 anos – Allan Poe, que eu não sabia que era terror na época.)
Um personagem: Annie Wilkes (Misery, de Stephen King)
Uma adaptação para o cinema que, na sua opinião, deu muito certo: O bebê de Rosemary. (Li o livro e vi o filme. Ficou perfeito!)
 Três escritores nacionais: Posso citar mais? Então lá vai: Robson Gundim (é você mesmo, rapaz!), Pâmela Filipini, Lucas Odersvank e Gabriel Tennyson. São novos talentos que merecem atenção e que gosto muito (e que acabaram se tornando amigos devido à admiração que tenho por eles).
 Se o seu livro “A Bruxa do Olho de Vidro” fosse uma música, ele seria: Nightbook, de Ludovico Einaudi.
Uma mania na hora de escrever: Um copo de água ao lado. E só.

Muito obrigado por ceder parte do seu tempo para essa entrevista, Maud! Que você continue a trilhar por um caminho de luz e de muito sucesso!

Maud Epascolato nasceu em 1979 no Rio de Janeiro e foi criada em Angra dos Reis. É escritora, revisora, professora, leitora compulsiva, apaixonada por gatos, pizza, chocolate, Allan Poe, Paul Auster, filmes, livros de psicologia, Carlos Ruiz Zafón, coxinha e suco de tangerina, não exatamente nessa ordem. Começou a escrever histórias policiais aos 14 anos, mas só veio a publicar vinte anos depois. Seu primeiro trabalho publicado foi o conto “Tempestade de Dezembro” na antologia O Último Dia antes do Fim do Mundo, pelo selo Ases da Literatura, da Editora Novo Século, em 2012. No ano seguinte, publicou MEDO DO ESCURO e outras histórias, seu primeiro livro solo. Participa também da antologia Conto dos 7, com “Encontro com a Morte”, lançada em 2014, disponível na Amazon. Possui também outros dois contos avulsos na Amazon: “Querida Mari” e “Ácido, Amargo & Triste”. Atualmente mora em Sorocaba com dois gatos, estantes abarrotadas de livros e pilhas infindáveis de filmes.

Com a Maud e o Pedro Almeida, na Bienal de SP (2016)

Sigam a Maud nas redes sociais:

E-mail: maudepascolato@gmail.com
Compre o livro AQUI




sábado, 29 de julho de 2017

Universos Extraordinários: Uma coletânea PenDragon

A Bienal do Rio 2017 está se aproximando, e com ela, grandes novidades no mercado literário. Dentre essas novidades, lhes trago o mais novo lançamento da Editora PenDragon: “Universos Extraordinários”, uma antologia que reúne vinte e cinco contos fantásticos, escritos pelos autores da editora.

Capa da Antologia, por Marcus Pallas

Tive o prazer de conhecer boa parte dessa galera na Bienal de SP, no ano passado, e devo dizer que está sendo uma honra compartilhar um livro com eles! Esse livro traz uma incrível coletânea de contos em universos distintos. Neles, os dragões guerreiros apresentam diferentes criaturas fantásticas em histórias de tirar o fôlego. "Universos extraordinários - Uma coletânea Pendragon", nos faz caminhar por diferentes aventuras, apresentando-nos personagens marcantes e inesquecíveis. Fadas, dragões, piratas, deuses, heróis, vilões, são alguns dos elementos que o leitor encontrará nas histórias presentes no livro. São vinte e cinco contos escritos pelos autores da Pendragon, onde, a cada nova página, o leitor mergulhará em universos extraordinários.

Vem conhecer um pouco sobre os contos:


O Caminho de Eru, por Marco de Moraes

Sinopse: O conto narra a história de quando Maria, filha de escravos, descobre um mundo totalmente diferente além do terreno da fazenda onde mora. É em meio a um universo mágico que ela vai ter que descobrir como voltar para casa. Em certo ponto há desenhos, mas podem ser mais do que isso!
Curta a fanpage do Marcos no Facebook AQUI.


A Profecia, por Allison RDS

Sinopse: O conto traz a história de Julia, uma princesa humana que está vivendo uma maldição ao lado de seu amado Gys, um acturiano que pode assumir sua forma original somente durante as noites. No entanto, uma antiga lenda diz que o sacerdote de Vener poderá reverter a maldição e revelar uma profecia tão antiga quanto o mundo em que vivem...
Curta a fanpage do Allison no Facebook AQUI.


Maria dos Patos, por Cristy S. Angel

Sinopse: O conto fala sobre um acontecimento que faz com que Maria seja injustamente expulsa por seu pai. Ocultando seu segredo, Maria parte para outro reino. Lá, ela encontra trabalho alimentando os patos da lagoa real. O que ela não sabia, era que encontraria um príncipe amaldiçoado. Além do romance, o conto trás uma lição importante sobre humildade e perdão.
Curta a fanpage da Cristy no Facebook AQUI.


O Tesouro dos Elfos, por Lucas Fernandes

Sinopse: De onde os Elfos mineram seus metais? Esse é a resposta que Selpher pretende obter, invadindo o reino Élfico, com um grupo de ladinos. Tudo bem que a Floresta das Joias não passa de um boato, mas para um ladrão conceituado a incursão valeria a pena só pela adrenalina. Um conto com humor, aventura e seres fantásticos, embora nem um pouco escrupulosos.


Para Onde Vão os Suicidas, por Felipe Saraiça

Sinopse: Em Para onde vão os suicídas, conto presente na antologia Universos extraordinários, o leitor será levado ao submundo junto a personagem Angelina, que anteriormente havia passado por uma tentativa de suicídio. Lá, Ixtab será apresentada como porta-voz da morte e irá propor um desafio a Angelina. Para onde vão os suicídas é o conto que deu origem ao livro do mesmo nome e traz questionamentos sobre vida e morte, em uma narrativa repleta de reflexões e pitadas de humor.


A Coroa da Rainha Fada, por Priscila Gonçalves

Sinopse: Durante milênios, as fadas e os botos viveram a beira da guerra, tudo por causa da lenda sobre uma coroa que dava sabedoria a antiga rainha fada. Cansados de serem subjugados pela falta do instrumento magico, os fada decidem declarar guerra. Thasli não se conforma com a decisão de seu povo e junto com o amigo boto Avati vai enfrentar o labirinto do templo Okiutha em busca da única coisa capaz de por fim a batalha.
Curta a fanpage da Pri no Facebook AQUI.


Youkai da Destruição, por Déborah Felipe.

Sinopse: Soichiro é um idoso cego, morador da cidade de Kamakura, mas os moradores fingem não vê-lo ali, com seu kimono puído e seu velho shamisen. O que as pessoas não sabem é que ele protege a cidade enquanto todos dormem, e naquela noite aparece o Youkai da Destruição para desafiá-lo.
Curta a fanpage da Déborah no Facebook AQUI.


Será que pode me ajudar?, por Graci Rocha.

Sinopse: O conto é uma narrativa divertida que conta como uma esposa acabou transformada em algo totalmente inusitado quando o marido, um bruxo muito atrapalhado resolve tentar um feitiço novo. Com muito humor somos levados a conhecer essa família e sua aventura doméstica.
Curta a fanpage da Graci no Facebook AQUI.


Cedro, por Camila Deus Dará.

Sinopse: No conto “Cedro” você irá conhecer a misteriosa história de um garoto invisível que trabalha na biblioteca pública da cidade e descobre entre as prateleiras empoeiradas, um livro mágico e uma marionete que irá mudar a sua vida para sempre.
Curta a fanpage da Camila no Facebook AQUI.


O Cemitério da Arca do Morto, por Robson Gundim.

Sinopse: No conto “O Cemitério da Arca do Morto” embarcaremos em uma aventura ao lado dos irmãos piratas Annette e Vasseur Legrand: dois saqueadores que almejam fortunas a custo de qualquer esforço. A história é um prelúdio de uma saga de livros protagonizada por Annette, uma mulher corajosa e valente, externando a atmosfera fantástica dos clássicos romances sobre piratas e aventuras em alto mar. Nesse conto, os personagens passam por uma das maiores peripécias de suas vidas, envolvendo um assassinato, uma arca amaldiçoada e o despertar do lendário Cthulhu.
As maiores inspirações para o conto estão nos mitos de Cthulhu, do incrível HP Lovecraft, no livro “A Ilha do Tesouro” do escritor Robert Louis Stevenson, e nas séries Castlevania e Black Sails.


A volta dos irmãos Legrand será através desse conto repleto de reviravoltas. Para quem acompanhou "Entre o Céu e o Mar", se prepare, pois já estou trabalhando para o futuro da saga original, com novas edições e ilustrações!

Bem, pessoal, esses são alguns nomes dos autores que farão parte da antologia. Para conhecer mais a respeito da obra, não deixe de adquirir o seu exemplar! Para adquiri-lo, acesse a nossa loja!

Detalhes do produto:

Editora: Editora Pendragon

Autores: Amanda Novachi / Alisson RdS / Alex Redfield / Alexsandra Figueiredo / André Solidão / Brenda Ripardo / Camila Deus Dará / Cristy S. Angel / Denis Ibnez / Déborah Felipe / Diego Medeiros / Felipe Saraiça / Graci Rocha / Jéssica S. Albino / L. Matheus / Lucas Fernandes / Lucas Barbosa / Marco de Moraes / Natália Batista / Priscila Gonçalves / P.P França / Rita Pinheiro / Robson Gundim / Sayd Alcantara / Saulo Moreira

Edição: 1
Ano: 2017
Páginas estimadas: 150
Tipo de Capa: Brochura - Supremo 250g Com duas orelhas
Assunto: Literatura Nacional - Contos
Idioma: Português
Data de Lançamento: 10/09/2017